Da formação à reinvenção de si


A formação está sempre, de algum modo, imbuída de sentido(s) e de significado(s). Há sempre uma motivação para a realizar: extrínseca, se é frequentada em contexto profissional, visando, por exemplo, a melhoria de destrezas e competências específicas ou a progressão profissional; intrínseca, se na base está o interesse, a curiosidade ou a valorização pessoal, desvinculada do contexto laboral, sem qualquer ligação a este. É como se no DNA humano estivesse inscrita a necessidade de (re)atualização de conhecimentos, que proporciona a adaptação a uma sociedade heterogénea, desafiante e em constante movimento.

A Portaria n.º 232/2016, de 29 de agosto, que rege o funcionamento e a dinâmica dos Centros Qualifica, estipula, no âmbito do processo de RVCC, a obrigatoriedade de os candidatos frequentarem, no mínimo, cinquenta horas de formação complementar.

No início, a ideia de dedicar duas ou três noites (ou tardes) ao processo – democraticamente repartidas entre sessões de balanço de competências e sessões de formação complementar – vem agitar as agendas e os mapas de compromissos dos candidatos. Há quem tenha trocado precocemente o lápis de pedra ou a caneta de aparo por uma enxada – a escrita passou a ser a da terra. Há ainda candidatos cujos horários de trabalho são flutuantes e variam de semana para semana, entre turnos que, quantas vezes, iniciam mais cedo e terminam mais tarde do que o previsto.

A formação assusta porque foge aos seus padrões de vida e faz recordar os bancos da escola, onde o sucesso académico, frequentemente, estava comprometido devido aos vários afazeres que se somavam e os esperavam em casa. Surge, muitas vezes, a questão “serei capaz?”. Mas a equipa do Centro não duvida: sim, são todos capazes!

Se aquando das primeiras semanas do processo, as reticências e a insegurança predominavam, dissipam – como o nevoeiro matinal dos meses mornos – à medida que as sessões se desenrolam e a Equipa desmistifica conceitos inerentes às áreas de competências-chave e aos referenciais que as sustentam.

Assim, o fluir do tempo traz à tona sentimentos de autoconfiança e de autoestima. Agora, os candidatos começam a conhecer a resposta àquela questão inicial, tendencialmente retórica. Ganham em saberes, em atitude perante diversas áreas da vida e introduzem mudanças em algumas práticas do seu dia-a-dia. Sentem que passam a gravitar em torno de uma sede de saber mais e aquelas cinquenta horas (no início tantas e tão assustadoras) transformam-se num trampolim para uma procura de mais (formação e saberes). Chegam a sorrir-nos enquanto dizem que afinal souberam a pouco. Enriquecem-se e crescem, sobretudo, enquanto cidadãos. E essa é tanto a matriz como o elixir da Educação de Adultos: proporcionar a conscientização e a libertação.

Isabel Moio – Técnica de ORVC

A Educação de Adultos em Festa


No dia 20 de julho, pelas 21.00 horas , o átrio da Escola Secundária de Pombal encheu-se de candidatos do processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências, formandos do curso EFA de nível secundário e de Português para Falantes de Outras Línguas bem como familiares, amigos e ainda representantes das entidades parceiras do Centro Qualifica para a cerimónia de entrega de diplomas.

Tinha chegado o dia de fazer um balanço sobre o caminho trilhado pelo Centro Qualifica, no ano letivo 2017-2018, na concretização da sua missão na educação de adultos.

Árvores com longas e coloridas raízes, a sua folhagem constituindo uma moldura de fotografias de momentos significativos do ano letivo, deliciosos apontamentos musicais, palavras de reconhecimento e de estímulo, mesas de saborosas iguarias foram estímulos sensoriais que ajudaram a criar o ambiente de festa.

Conduzido pela metáfora da árvore, o Dr. Nelson Pedrosa, coordenador da bibliotea Municipal falou-nos das nossas raízes, heranças e tradições, com destaque para a lenda do Bodo. A Dra Ana Cabral, vereadora da cultura, tomou a palavra em nome de todos os parceiros do Centro, e sublinhou a importância da educação ao longo a vida para o crescimento  pessoal e profissional. A Filarmónica Artística de Pombal, enquanto elemento privilegiado na teia de relações para assegurar um desenvolvimento harmonioso e saudável dos jovens e adultos do nosso município, também nos brindou com a presença da sua Presidente, Carla Longo, e a aluna de piano, Sofia Caballero encantou com a interpretação de “The heart asks pleasure first” de Michael Nyman e “Games of Thrones” de Ramin Djawadi. O jovem formando do curso EFA, Tiago Proença e Pedro Barreiro proporcionaram dois momentos de muito valor com a interpretação dos temas “Creep” dos Radiohead e “Jesus Doesn’t Want me” dos Sunbeam, “Drunker Sailer” dos Iris Rovers e “Wheels” dos Too Fighters.

Como não poderia deixar de ser, ponto alto foi a entrega dos diplomas: 36 do processo de Reconhecimento de Competências, 26 do curso EFA de nível secundário, e 30 de Português para Falantes de Outras Línguas. Para este momento solene, a jornalista da Rádio Clube de Pombal, Ana Carolina de Jesus, foi convidada a juntar-se aos técnicos de ORVC e formadores em representação de todas as entidades que este ano abriram as portas e proporcionaram momentos muito especiais de aprendizagem fora dos muros do Centro Qualifica/escola.

A noite de festa encerrou com  palavras do Diretor Adjunto do Agrupamento, Manuel António, e  foram de reconhecimento da importância do Centro Qualifica na valorização da população adulta e de agradecimento pelo  empenho de cada um dos elementos da equipa técnico-pedagógica.

Seguiu-se ainda o espaço de convívio animado pelo acordeonista Daniel Mendes, filho de um candidato do processo RVCC. A noite foi longa, mas foi certamente de coração cheio que todos regressámos a casa.

Cristina Costa – Coordenadora do Centro Qualifica

10 anos de Sistema Nacional de Qualificações


O Sistema Nacional de Qualificações completa 10 anos. Para celebrar este momento, a Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional promoveu, um Encontro Nacional dirigido a todos os profissionais que, diariamente, contribuem para o seu funcionamento ou ajudam a consolidá-lo.

Nos Encontros Nacionais, que a entidade tutelar tem vindo a desenvolver nos últimos anos, é sempre possível (re)encontrar os rostos com quem se tecem conversas virtuais, numa frutífera partilha de dúvidas e de opiniões construtivas, e as vozes com as quais, tantas vezes, se comungam momentos ao telefone: esclarecendo ideias, auscultando a eventual existência de oferta formativa e negociando encaminhamentos.

Os Técnicos de ORVC do Centro Qualifica do Agrupamento de Escolas de Pombal estiveram presentes no encontro que teve lugar no Centro de Congressos de Aveiro, no dia 18 de julho, que se assumiu como um espaço de reflexão, de partilha e de conhecimento, reunindo, de acordo com os organizadores, cerca de 700 participantes.

Este Encontro foi composto por cinco painéis que versaram sobre as seguintes temáticas: “Catálogo Nacional de Qualificações: o ‘sistema linfático’ do Sistema Nacional de Qualificações” (Painel 1), “Ensino Profissional: vias para um ensino de valor” (Painel 2), “A Educação de Adultos em Portugal: desafios e conquistas” (Painel 3), “SANQ: antecipar e planear” (Painel 4) e “A Garantia da Qualidade na Educação e Formação Profissional: no percurso da melhoria contínua” (Painel 5).

Uma das ideias-chave remete para o facto de uma das mais notórias conquistas da História da Educação e Formação de Adultos em Portugal residir na possibilidade que foi dada a esta área de se ver colocada no centro das agendas e dos discursos políticos e da comunidade académica. Apesar disso, muito mais ainda há por (e para) fazer em prol da sua dignificação na Lei de Bases do Sistema Educativo e no nosso país.

Mais do que um (re)encontro de rostos e de vozes, estes momentos formativos são, sobretudo, ocasiões que primam pela possibilidade de construção de conhecimento e pela consolidação da necessidade de estabilização de políticas públicas de Educação e Formação de Adultos, as quais contribuam para reforçar as condições de uma verdadeira procura social de oportunidades de Aprendizagem ao Longo (e em todos os espaços e idades) da Vida, por todos.

Isabel Moio – Técnica de ORVC

Centro Qualifica em itinerância


Garantir respostas de proximidade face às necessidades de qualificação da população adulta portuguesa implica, frequentemente, a adoção de práticas de atuação em regime de itinerância. Foi o que aconteceu com um grupo de São João da Ribeira.

Durante cerca de nove meses, a equipa técnico-pedagógica do Centro Qualifica do Agrupamento de Escolas de Pombal deslocou-se duas a três vezes por semana à Associação Cultural e Desportiva de São João da Ribeira para dar resposta a um grupo de candidatos interessado em desenvolver um processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de competências (RVCC) escolar.

Para a maioria o processo representou uma oportunidade de concluir uma escolaridade interrompida precocemente, mas a grande motivação foi sustentada na necessidade de acompanhar as evoluções tecnológicas, na busca da valorização e desenvolvimento pessoal.

A experiência evidenciou, uma vez mais, o papel do associativismo local  em domínios como a qualidade de vida da população, a coesão social e a identidade socio-territorial. Foi no  espaço da Associação Cultural e Desportiva de São João da Ribeira que decorreu quase todo o processo e foi este mesmo espaço que se engalanou, no dia 21 de junho, para a Festa das provas de certificação.

 Cristina Costa – Coordenadora do Centro Qualifica

Afetividade: um dos lados efetivos da Educação de Adultos


A maioria das pessoas lembra, de alguma forma, como a relação com um ou mais professores marcou o seu percurso escolar. Puxando pelas lembranças, emerge uma teia de sentimentos, emoções e subjetividades. Nas pessoas adultas, com frequência, surgem histórias de interrupção da vida escolar face à necessidade de a criança (ou jovem) ajudar os pais na agricultura, o que, muitas vezes, era agravado pela distância entre a residência e a escola ou pela ausência de uma rede de transportes.

São muitas destas crianças e jovens, hoje pessoas adultas, que veem na porta do Centro Qualifica do Agrupamento de Escolas de Pombal a oportunidade de dar continuidade a um trajeto escolar colocado precocemente à margem das suas vidas, devido ao despontar de novas necessidades e prioridades.

Nas primeiras sessões de reconhecimento de competências, enquanto se apropriam de uma metodologia “nova” (autobiográfica, distinta das abordagens escolares) e quando questionadas sobre o motivo que aqui as trouxe, recordam os “fantasmas” e as dificuldades de idos tempos de escola. O decorrer do processo traz-lhes clarividência: a possibilidade de combater a erosão do saber, ao revisitar conceitos e conteúdos nas sessões de formação complementar; e a emancipação, pelo aumento da autoconfiança e melhoria da capacidade de autoconhecimento. Há partilha e um contrato que estipula a empatia como condição basilar de todo o processo. Há, também, aprendizagem de ambas as partes: tantas vezes a equipa aprende com cada História que ouve, lê, orienta e encaminha… Depois, há ainda aqueles momentos com os quais os nossos candidatos, ao traduzirem o processo em objetos simbólicos, expressam o valor que esta caminhada lhes representa.

Para que a afetividade se transforme numa ferramenta efetiva ao serviço da Educação de Adultos, visando o estabelecimento de vínculos de aproximação, é imprescindível a construção de sentimentos positivos assentes no respeito mútuo e na confiança. Neste contexto, a relação percebida entre a equipa técnico-pedagógica extravasa a dimensão cognitiva. É assim que, tanto o(a) técnico(a) como o(a) formador(a) vestem a missão de incentivar cada pessoa em processo, compreendendo-a, orientando-a, motivando-a para chegar a bom porto e contribuindo para que tome consciência de que é a peça fundamental no seu processo de Aprendizagem ao Longo (e em todos os espaços) da Vida.

Isabel Moio – Técnica de ORVC

Educação de adultos numa visita de estudo


No dia 26 de maio 2018, os formandos do curso EFA e os seus formadores aos quais se juntaram candidatos do processo RVCC e a coodenadora do Centro Qualifica visitaram o hospital da CUF (Coimbra), bem como as ruinas de Conímbriga (Condeixa).

De um dos mais recentes centros hospitalares de Coimbra aos longínquos tempos dos Romanos, o foco esteve nos meios ao serviço da saúde e do bem estar.

De marcante na visita ao hospital foi constatar a qualidade das instalações, mas também usufruir de um acolhimento de exceção. Abriram-se as portas para um espaço moderno, luminoso, asséptico, e passou a mensagem da importância dos meios técnicos, da racionalidade da ciência na intervenção médica, mas sobretudo do valor da compaixão, da empatia.

Em Conímbriga, deixámo-nos envolver numa atmosfera em que se desvela o mistério da redescoberta dos modos de vida de um povo. Redescobrimos os seus SPA (sanus per aqua), as  termas espalhadas pela urbe, os peristilos, os repuxos, fragmentos de objetos usados na saúde e higiene, em suma, espaços e utensílios ao serviço do bem estar do corpo e da mente, da redução do desconforto e do sofrimento (mens sana in corpore sano).

Os sentimentos estiveram no centro da visita de estudo. Foram também eles o instrumento de monitorização do sucesso da iniciativa que ficará como um marco no percurso formativo dos nossos adultos.

Não estivemos certamente muito longe de confirmar a tese defendida pelo neurocientista António Damásio, na sua obra A estranha ordem das coisas, “os sentimentos são os mecanismos que impulsionam o intelecto humano na direção da cultura”. Foram eles que fizeram e farão evoluir a medicina, são a força motriz para desafiar limites, para investigar, aprender sempre mais e mais.

Cristina Costa – Coordenadora do Centro Qualifica

Portefólio: a (re)descoberta de si por si


No dia 26 de abril de 2018 decorreu, no Centro Qualifica do Agrupamento de Escolas de Pombal, uma sessão de júri de certificação de quatro candidatos que, mediante o desenvolvimento e construção do seu portefólio reflexivo de aprendizagens e uma apresentação em PowerPoint, obtiveram equivalência ao 9.º ano de escolaridade.

Mais do que uma mera coleção de páginas de história(s) de vida, um portefólio é o espelho de mapas de aprendizagens, de compromissos, de competências e de saberes adquiridos no palco da vida, nos mais diversos cenários, partilhados com diferentes intervenientes e protagonistas.

Numas ocasiões, somos o ator principal; noutras, optamos por ser meros observadores. No entanto, em ambas as situações é possível captar novos registos e novas formas de “ler o mundo” (como diria Paulo Freire, um dos mais notáveis pedagogos), incorporando-as na nossa maneira de Ser, de Estar, de Fazer e de Conviver com os Outros. Em suma, nos quatro pilares da Educação que (também) somos.

Independentemente do papel por nós assumido, somos sempre o autor da nossa História e, por isso, não devemos permitir que outras pessoas peguem na nossa caneta. Apenas a mão de cada autor é conhecedora da cor sua tinta (por vezes, uma cor que não existe no espetro da unidade, mas que reinventamos para colorir, de forma única, um caminho que também o é), dos seus rascunhos e da forma como, livremente, materializa a capa do seu livro e sequencializa o conteúdo das suas páginas.

O portefólio é também uma forma de nos (re)conhecermos, de aprendermos e de nos construirmos connosco e com os que nos rodeiam. Transforma-se no bilhete e, simultaneamente, no meio de transporte que proporciona uma das mais surpreendentes viagens pelo mundo do autoconhecimento, favorecendo a (re)descoberta de si por si.

Porque o melhor da vida acontece quando deixamos de esperar e fazemos acontecer, que o portefólio de cada candidato que acompanhamos em processo (inacabado) de reconhecimento, validação e certificação de competências permita sempre, de alguma forma, fazer a vida acontecer, sendo mais do que uma mera coleção ou somatório de páginas: um fiel espelho de quem se é, como e porquê.

Isabel Moio – Técnica de ORVC

Sim à vacinação


No passado dia 18 de abril, pelas 19:30 horas, assistimos, na Escola Secundária de Pombal, a uma sessão de esclarecimento sobre vacinação com o médico Válter Santos e a enfermeira Luísa Erse.

Esta temática surgiu na sequência dos movimentos antivacina. Os oradores incentivaram todas as pessoas a vacinarem-se porque é uma proteção contra a doença e falaram da imunidade de rebanho o que faz com que temos a responsabilidade de nos vacinarmos  para nos protegermos a nós e aos outros à nossa volta. 

Esta palestra foi muito importante  para desfazer alguns mitos e para conhecermos as novidades do plano nacional de vacinação

Saímos mais convencidos que vale a pena usufruir deste direito.

Os candidatos do processo RVCC de nível básico em São João da Ribeira

Ser Técnica


Desempenhar funções como Técnica de Orientação, Reconhecimento e Validação de Competências é muito mais do que ter técnica. É ser Técnica. E sê-lo requer assumir um “contrato” com cada candidato, em que se estabelece a empatia como condição basilar, como Carl Rogers defendia.

Através desse contrato, quem é Técnica (mais do que aplicar uma sequência de instrumentos), consegue ler as dúvidas, as expetativas e as motivações no rosto de cada candidato que entra no Centro Qualifica, trazendo nos bolsos e no olhar a emoção de voltar a entrar numa escola. Foi o que aconteceu com a Marina, o Jorge e o Paulo que, no início, junto ao lápis e ao bloco de folhas, traziam muitas dúvidas e incertezas, sentindo-se um barco em alto mar – o processo – ambicionando ancorar em porto seguro.

Se uma criança é uma esponja que absorve todo o conhecimento que lhe é transmitido, uma pessoa adulta apenas se envolve em processos educativos e formativos se as mais-valias que obtiver lhe proporcionarem respostas para o seu dia-a-dia e corresponderem às suas necessidades e objetivos imediatos. E foi isso que estes três candidatos procuraram. Se, no início, os seus portefólios nasceram de forma tímida, debaixo da sombra das incertezas, não se deixaram encobrir por ela. A persistência, a dedicação e a curiosidade foram imagem de marca durante o processo: mais do que simplesmente conhecer, a equipa sentia que os candidatos tinham também sede de aprender e de compreender. Começavam a não carregar tantas dúvidas nos bolsos, substituindo-as por novos projetos e ambições que preencheram o seu dia-a-dia com novas formas de ler o mundo e novos contactos sociais.

No processo de reconhecimento, validação e certificação de competências, tal como nos diz o ciclo andragógico, o ponto de partida é, simultaneamente, alicerce e ponto de chegada. Aqui, representado pela história de vida de cada pessoa adulta. E, não se encerrando no final do processo, volta a ser novo ponto de partida, ao gerar a (trans)formação individual e o impulso para novos percursos educativos e formativos.

No dia da prova de certificação, a Marina, o Jorge e o Paulo já não traziam nos bolsos nem no olhar as incertezas iniciais, mas a esperança num “amanhã” promissor, com novos impulsos e percursos. Que esse “amanhã” se cumpra e contribua para a sua (trans)formação!

Isabel Moio – Técnica de ORVC

 

Partilha de saberes sobre os perigos da automedicação


Em parceria com o projeto de Educação para a Saúde, o Centro Qualifica investe em ações que promovem a literacia em saúde e valorizem comportamentos que conduzam a estilos de vida saudáveis.
Os perigos da automedicação foi o tema da sessão do dia 7 de março 2018, com o médico Válter Santos, no auditório da Escola Secundária de Pombal.
Em interação com os candidatos do processo de RVCC (Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências), o jovem médico, antigo aluno da nossa escola, alertou para o facto da prática da automedicação poder tornar-se um problema com consequências muito graves, nomeadamente: contribuir para erros de diagnóstico uma vez que pode esconder determinados sintomas; anular ou potenciar a ação de medicamentos em uso; provocar intoxicações e reações alérgicas.
Alertou ainda para a necessidade de conservar corretamente os medicamentos. Sob a influência da luz, calor ou humidade, os medicamentos podem deteriorar-se. Também deve ser dada especial atenção à preservação da embalagem. Deu o exemplo do Brufen esquecido no fundo da carteira de senhora, ao qual se recorre, numa emergência, quando já está fora de validade ou com o blister danificado.
Recorrendo a muitos exemplos, clarificou que uma dose acima da indicada, administrada por via inadequada ou uso para fins não indicados, podem transformar um remédio num tóxico.
Finalizou a sua intervenção com alguns vídeos, realçando o facto da publicidade nos diferentes meios de comunicação social ser uma possante fonte de informação, por vezes enganosa, e influência sobre a compra e uso de medicamentos não sujeitos a receita médica (MNSRM).
Todos os presentes agradeceram a partilha de saberes que, num ambiente muito agradável, o Dr. Válter Santos nos proporcionou. Ficámos mais esclarecidos e pudemos refletir sobre os nossos hábitos no que diz respeito à toma de medicamentos.

Cristina Costa

Rir para aprender


Rir com a família e os amigos é do melhor que há e foi o que aconteceu no fim da tarde de domingo 14 de janeiro 2018, no teatro cine de Pombal.

Numa iniciativa da BE da Escola Secundária de Pombal e do Centro Qualifica, jovens alunos, adultos em formação, elementos da Universidade Sénior, professores, familiares e amigos embarcaram na epopeia dos Lusíadas, disfrutando de uma revisitação do poema épico de Camões, uma adaptação recheada de humor do Teatro Amador de Pombal.

Ao longo dos 45 minutos, num jogo vivo de interpelação permanente, os atores conquistaram o público, recolheram fortes aplausos e deixaram sorrisos estampados nos rostos de miúdos e graúdos.

Se para uns, a peça representou uma oportunidade para recordar os tempos de escola, para outros, terá sido certamente uma ótima sensibilização ao estudo da obra que constitui uma referência da identidade portuguesa no contexto literário universal.

Cristina Costa

Coordenadora do Centro Qualifica

Convite para “Os Lusíadas?” no Teatro-Cine de Pombal


No dia 14 de janeiro de 2018, pelas 17 horas, no Teatro-Cine de Pombal, o grupo “Teatro Amador de Pombal” representará a peça “Os Lusíadas?”, destinando-se aos alunos (jovens e adultos) do Agrupamento de Escolas de Pombal.

Contamos consigo! Contamos com a presença de todos quanto gostam de fazer rir, aprendendo!  

Vamos “Entrelaçar Saberes”, neste Novo Ano!

A equipa dinamizadora

(Biblioteca Escolar, Centro Qualifica e Professores de Português) 

Pontes para a construção de conhecimento


Este é normalmente um período de balanço do ano prestes a findar e também de definição de propósitos e objetivos para o novo ano que se aproxima.

Não poderíamos deixar de dedicar um tempo desta época para um momento especial de Gratidão a todos aqueles que contribuíram para a construção do conhecimento, abriram portas e foram pontes.

Trazemos à memória uma iniciativa que foi um alento no fortalecimento da pedagogia realizada fora dos muros escolares e da importância  da comunidade como elemento-chave em prol do êxito educativo.

Obrigada ao professor Joaquim Eusébio que partilhou os seus saberes a partir do Canadá através de uma videoconferência.

Obrigada ao Pombal Jornal, PombalTV e 97 FM Rádio Clube de Pombal nas pessoas da Dra. Manuela Frias, Dra. Rita Ribeiro, Dr. Paulo Delfim que acederam ao convite para uma mesa redonda sobre os meios de comunicação regionais.

Obrigada à Dra. Ana Carolina de Jesus que permitiu aos formandos do curso EFA e aos candidatos do processo RVCC fazerem a experiência de uma gravação nos estúdios da 97 FM Rádio Clube de Pombal assinalando o Dia do São Martinho com uma reflexão sobre a importância da castanha na nossa alimentação  e o Dia Nacional da Cultura Científica com “Sumo de Ciência“. 

Obrigada também a todos os elementos das equipas técnico-pedagógicas do EFA e do Centro Qualifica pelo seu empenho e ainda à Direção do Agrupamento de Escolas de Pombal que criou as condições logísticas para a  concretização do projeto.

 

Cristina Costa

Coordenadora do Centro Qualifica

Motivos para festejar no Centro Qualifica


O mês de dezembro foi de festa para o nosso Centro Qualifica. Doze candidatos conseguiram concretizar o objetivo a que se propuseram: o processo RVCC B2 (três candidatos), B3 (cinco) e nível secundário (quatro).

Muitos Parabéns a todos!

O desejo profundo de todos os elementos da equipa do Centro é que a reflexão sobre o caminho percorrido nas páginas da vida alargue as possibilidades para novos projetos formativos, profissionais e pessoais.

Cristina Costa

Coordenadora do Centro Qualifica

A Educação de Adultos está no ar


 No dia 24 de Novembro – Dia Nacional da Cultura Científica, ouçam Sumo de Ciência na 97 FM- Rádio Clube de Pombal!

Esta iniciativa (catorze podcasts) resulta de um desafio colocado pelo professor João Pires aos formandos do Curso de Educação e Formação de Adultos (EFA), nível secundário, do nosso Agrupamento, no âmbito da Área de Competência-Chave “Sociedade, Tecnologia e Ciência” e inserido na atividade integradora “O papel dos mass media nas sociedade democráticas”.

Os formadores do curso EFA e a equipa do Centro Qualifica agradecem todo o apoio que a 97 FM – Rádio Clube de Pombal tem prestado a este projeto.

Noite de glamour para a entrega de diplomas do Centro Qualifica


Teve lugar no dia 21 de julho, a Cerimónia de Entrega de Diplomas dos candidatos do processo RVCC bem como dos cursos EFA e Português para Falantes de Outras Línguas. O átrio da Escola Secundária de Pombal encheu-se de papagaios de papel, metáfora colorida dos objetivos pessoais e profissionais e acolheu os candidatos/formandos, os seus familiares e amigos para celebrar este momento especial das suas vidas, mas também a longa tradição na educação de adultos da Escola Secundária de Pombal.

Depois do Complementar Noturno e do Ensino Recorrente, no ano letivo de 2006/2007, foi criado o Centro RVCC da nossa Escola, que passou rapidamente a ser designado por Centro Novas Oportunidades. Em março 2013, transformou-se em Centro para a Qualificação e o Ensino Profissional, que, em janeiro 2017, deu lugar ao Centro Qualifica.

Foi por conseguinte, em ambiente de festa e de emoção, que se procedeu à entrega dos diplomas aos cinquenta e oito homens e mulheres que se atreveram-se a lutar contra os seus próprios limites, apostando na sua formação para encetar novos voos.

As minhas palavras, enquanto coordenadora do Centro, e do vereador, arquiteto Renato Guardado, foram de incentivo ao dinamismo para a Aprendizagem ao longo da Vida, condição indispensável para responder aos desafios da sociedade em constante mudança.

Particularmente inspirador foi o momento musical proporcionado pelo professor Licínio Maurício que interpretou ao saxofone alguns hits do momento: I feel it coming (the weekdn), Stand by me (seal), Sign of times (Harry styles).

Não faltou o bolo comemorativo e o champanhe a somar a todos os doces e bebidas trazidos pelos candidatos/formandos.

Ficam os registos fotográficos e sobretudo o coração cheio.

Parabéns aos candidatos/formandos, mas também a todos os elementos da equipa do Centro e do Curso EFA.

Obrigada a todos os que tornaram possível a realização deste evento: a Câmara Municipal de Pombal, na pessoa do seu vereador, Renato Guardado, os colegas Licínio Maurício, Fernanda Gomes, Isabel Ferreira, Patrícia Amado, Isabel Palma, Ana Paula Ferreira, Helena Lento, Jorge Rodrigues, Manuel António e também D. Isabel, D. Isa e Sr. Sérgio.

Cristina Costa

Provas de Júri de Certificação


Na tarde de 17 de julho, abriram-se nova portas para  o futuro para seis candidatos do nosso Centro Qualifica.

A Arlete, a Anabela, a Isabel, a Aldina, a Fernanda e o Rui concluíram o seu processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências (RVCC). Ao serem formalmente reconhecidas as suas competências com a certificação de nível básico para uns (6º e 9º ano) e de nível secundário (12ºano) para outros, novas oportunidades de formação ficam ao seu alcance. Muitos parabéns a todos e sucesso nos novos desafios!

Venha aprender informática


Estes cursos de Formação Modular Certificada destinam-se a adultos/as com idade igual ou superior a 18 anos, empregados/as ou desempregados/as que pretendem desenvolver competências essenciais para a utilização do Word, Excel, PowerPoint e a navegação na Internet.

Terão início em setembro,  em horário pós-laboral, e a sua frequência, com aproveitamento confere Certificados de Qualificações de nível 2.

Venha aprender inglês


Este curso de Formação Modular Certificada destina-se a adultos/as com idade igual ou superior a 18 anos, empregados/as ou desempregados/as  que não tenham quaisquer noções da língua inglesa (iniciação) ou que queiram atualizar os seus conhecimentos (continuação).

Terá início em setembro,  em horário pós-laboral, e a sua frequência, com aproveitamento confere um Certificado de Qualificações de nível 4.

Informe-se no Centro Qualifica do Agrupamento de Escolas de Pombal.

Provas de Júri de Certificação


Foi ao fim da tarde do dia 20 de junho que sete candidatos do nosso Centro Qualifica, o João, o Pedro, a Isabel, a Laura, o Abel, a Dulce e o Rui concluíram o seu processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências (RVCC). Foram formalmente reconhecidas as suas competências com a certificação de nível básico para uns (6º e 9º ano) e de nível secundário (12ºano) para outros.

A deliberação do júri tem por base a análise do portefólio do candidato conjugada com o seu desempenho numa prova de certificação, que consiste na apresentação de uma exposição e reflexão em torno de uma temática integradora trabalhada ao longo do Portefólio de Aprendizagens.

Os nossos candidatos enriqueceram todos os que tomaram parte na sessão de júri com curiosidades sobre carros híbridos, habitações sustentáveis e ervas aromáticas; desafiaram para a concretização do sonho de projetos de turismo rural,  para uma visita pelo  mundo dos salões de cabeleireiras, das clínicas dentárias e dos sabores multiculturais.

Parabéns a todos! Todos se podem e devem orgulhar do trabalho desenvolvido.

Desejamos que a passagem pelo Centro Qualifica do nosso Agrupamento, em particular a realização do processo RVCC tenha ajudado a ampliar os espaços de aprendizagem e despertado a alegria da aprendizagem ao longo de toda a vida.

Cristina Costa

Participe na sessão de apresentação


Se pretende saber como concluir o 12º ano,
Se não tem o 9º ano ou o 6º ou mesmo o 4º ano,
Se pretende fazer formações modulares de informática, línguas estrangeiras, contabilidade, primeiros socrorros…,
Se é estrangeiro e pretende aprender Português,Venha esclarecer-se connosco!
Data: o8 de junho
Hora: 20:30
Local: Auditório da Escola Secundária de Pombal

Ponte entre a escola e o contexto laboral – Visita à Indumap


Associando-se aos formandos do curso EFA e à concretização da sua atividade integradora, no dia 18 de maio, pelas 19:30, os candidatos do processo RVCC visitaram a empresa INDUMAPE – Industrialização de Fruta, S.A..

Localizada no Parque Industrial Manuel da Mota, e especializada na produção de concentrados de maçã, de pera rocha e de uva branca e baga de sabugueiro, esta empresa é o maior transformador de fruta portuguesa, com recolha a nível nacional e exportando cerca de 90% da sua produção.

Percorrendo os vários edifícios, os formandos e formadores puderam acompanhar as cinco fases de produção do concentrado de maçã: moagem, prensagem, recuperação do aroma, clarificação e ultrafiltração e concentração.

A recetividade da empresa para uma visita em horário pós-laboral revelou-se muito importante para a articulação escola-meio, mas sobretudo permitiu uma oportunidade única de partilha de saberes. O formando do curos EFA, José Pombo, foi incumbido, na qualidade de colaborador da empresa, de  fazer as honras da casa, com a última parte da visita guiada.

Resta-nos agradecer ao Engº Oswaldo Trabulo e ao Sr. Pedro Lobo da empresa Indumap, mas também à mediadora do curso EFA, Isabel Ferreira e ao formando José Pombo que nos proporcionaram esta oportunidade de aprendizagem.

Cristina Costa

Centro Qualifica – Sessão de divulgação


Se sente necessidade de aprender a utilizar um computador nem que seja para controlo da utilização que o seu educando faz deste equipamento;

Se tem tido dificuldade em acompanhar o seu educando na realização das tarefas escolares por ter deixado a escola há muitos anos atrás;

Se deseja melhorar as suas competências no inglês, francês, alemão, espanhol;

Se pretende fazer formações modulares numa outra área como primeiros socorros, gestão de conflitos…;

Se não conluiu os 4º, 6º, 9º ou 12º anos;

o Centro Qualifica do Agrupamento de Escolas de Pombal pode ajudar.

Participe na sessão de divulgação:

Data: 08 de maio

Hora: 20:30

Local: Auditório da Escola Secundária de Pombal

Leituras em Baladas


Mais uma vez, a biblioteca da Escola Secundária de Pombal tornou-se num espaço de prazer e de criação. A professora Fernanda Gomes sonhou, ousou, criou, envolveu e participou na educação de adultos.

No dia 30 de março, pelas 20:00 horas, no âmbito da Semana da Leitura, abriu as portas às mais variadas possibilidades da relação entre leitura poética e dança, declamação e baladas, pensar e sentir.

Somando os talentos dos alunos Brenda Almeida (3º TAL); Marcelo Santiago  (12º) , Felizbela, Pablo, Soaraia,  (9º CAI ); Fábio Neto e Filipe Cordeiro (curso EFA NS), Isabel Cordeiro (RVCC – B3)  bem como do professor bibliotecário, João Silvano, à já habitual cumplicidade da Universidade Sénior, o público foi convidado a fruir de versos de António Pina, Florbela Espanca, Manuel Alegre e Emeli Sandé.

Foi ainda desafiado a entrar no mundo do haiku, forma de poesia que surgiu no século XVI, no Japão, e que tem vindo a despertar o interesse no ocidente como forma de captar o momento, deter o olhar sobre a natureza, sob a forma de três versos de cinco, sete e cinco sílabas.

Viveu-se o entusiasmo da partilha, cresceu-se em proximidade e na certeza da importância da poesia no desafio à criatividade e humanização, mas sobretudo, confirmou-se o empenho de muitos na valorização da Aprendizagem ao Longo da Vida.

Crepúsculo, luz

Leituras em baladas

Gozo do Saber

(A minha primeira experência com o  Haiku)

Cristina Costa

Cinema e TIC na educação de adultos


Inspirados no filme de animação “Ratatouille” os candidatos do processo RVCC e os formandos do curso EFA escolar de nível secundário são convidados a entrar no mundo da fantasia, da cultura francesa e da web 2.0.

Data: 02 de fevereiro

Local: Biblioteca da Escola Secundária de Pombal

 

Festa da Aprendizagem ao Longo da Vida com ênfase na multiculturalidade


De 14 a 18 de novembro 2016, celebrou-se, a nível nacional, a Semana da Aprendizagem ao Longo da Vida. No Agrupamento de Escolas de Pombal aconteceu na multiculturalidade, na partilha de costumes, lendas, cantigas e sabores, na alegria do encontro e do diálogo intercultural.

Com representações culturais de quatro países (Ucrânia, Espanha, Reino Unido e Portugal), no serão do dia 17 de novembro, o átrio da Escola Secundária transformou-se. Encheu-se com os intervenientes, e seus familiares, das diversas ofertas formativas para adultos promovidas pelo nosso Agrupamento: Processo de RVCC, Curso EFA, Formação em Português para Falantes de Outras Línguas.

A Tuna da Universidade Sénior de Pombal, o historiador da Câmara, Nelson Pedrosa, e a professora Bibliotecária, Fernanda Gomes, abrilhantaram o evento. Cores, luzes, música e  aromas ativaram as emoções. Juntos, rimos, ouvimos, cantámos, contámos as nossas histórias, desfilámos, sentámo-nos à mesa, conversámos enquanto saboreávamos as fartas iguarias também elas contadoras de histórias.

“Sabores da Multiculturalidade” foi assim um espaço informal de aprendizagem. Adquirimos novos saberes, e sobretudo, fomos desafiados ao reconhecimento da preciosidade de cada cultura e de cada pessoa.

Foi a complementaridade de muitas pessoas que permitiu a concretização deste evento. Para além da gentileza da participação da tuna da Universidade Sénior, da partilha do dom de contador de histórias do Dr. Nelson Pedrosa, do entusiasmo com que os formandos/candidatos aderiram ao projeto, do empenho da equipa técnico-pedagógica do Curso EFA, agradecemos o contributo dos professores Jorge Claro e Isabel Vicente, bem como dos assistentes operacionais que apoiaram na organização do espaço.

Cristina costa

Sabores da multiculturalidade


No dia 17 de novembro, a partir das 20:00 horas, no átrio da Escola Secundária de Pombal, realiza-se o evento “Sabores da multiculturalidade”, momento propício à partilha de cantares, histórias e sabores oriundos dos países dos adultos integrados nas diversas ofertas formativas do nosso Agrupamento: Português para Falantes de Outras Línguas, Educação e Formação de Adultos (EFA) de nível secundário, processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências (RVCC) de nível básico e secundário.

O convite estende-se a toda a comunidade educativa e todos os que queiram connosco celebrar a semana da Aprendizagem ao Longo da Vida.

Cristina Costa

Um olhar sobre o urbanismo – Visita a Conímbriga e Penela


Numa pedagogia ativa, cooperativa e aberta para o mundo exterior, no dia 05 de novembro 2016, os formandos do curso EFA escolar de nível secundário, os seus formadores, a coordenadora do CQEP e outros convidados puseram-se à estrada. O destino era visitar as Ruínas Romanas de Conímbriga e o Museu Monográfico bem como o castelo e vila de Penela.

A visita, guiada pela Doutora Ana Paula Ferreira, pelas artérias das ruínas de uma das maiores povoações romanas de que há vestígios em Portugal, o almoço convívio, a subida até ao castelo de Penela, e a sua exploração orientada pela Dra Joana Forte, facilitaram a sociabilidade e a a aquisição de conhecimentos no contacto com a fonte.

Esta visita de estudo constituiu a primeira etapa de uma atividade integradora cujo objetivo é a compreensão da evolução do urbanismo desde a antiguidade clássica à atualidade. A segunda etapa, acontecerá no dia 15 de novembro, pelas 20:00 horas, no auditório Dra Grabriela Coelho, na Escola Secundária de Pombal, numa palestra dinamizada pela vereadora Ana Gonçalves. O olhar centrar-se-á no urbanismo e mobilidade em Pombal.

Cristina Costa

 

 

Semana Aprender ao Longo da Vida – 2016


Na semana de 14 a 18 de novembro, vai decorrer a “Semana Aprender ao Longo da Vida 2016”.

Organizada pela Associação Direito a Aprender, em parceria com a Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional (ANQEP), entre outros organismos, visa chamar a atenção para as vantagens e necessidade de aprender sempre mais, melhor e ao longo da vida, através de várias atividades.

A primeira, designada “Atividades Locais“, consiste na dinamização e divulgação, através do site da Semana, de eventos em espaços não convencionais que proporcionem diferentes formas de aprendizagem (formal, não fornal e informal). A segunda traduz-se no “Prémio Semana Aprender ao Longo da Vida” e visa promover o conhecimento e a divulgação de boas práticas de aprendizagem de adultos que se revistam de carácter inovador e se revelem eficazes no esforço de participação dos adultos em processos de aprendizagem ao longo da vida. O encontro, agendado para o dia 18 de novembro, no Auditório 2 da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, corresponde à terceira atividade da Semana e assinala o seu encerramento com um debate em torno de temáticas como o desenvolvimento sustentável e a educação de adultos, os desafios e os caminhos que se perspetivam para a educação de adultos em Portugal e o papel das Associações de Educação de Adultos.

Somos desafiados a celebrar a “Semana ao Longo da Vida” no CQEP do Agrupamento de Escolas de Pombal.

 

Ensino Recorrente a distância


As Escolas de Mangualde são uma das duas escolas sede do projeto do Ensino Secundário Recorrente à Distância – ESRaD, criado pela Portaria n.º 254/2016.

Trata-se de uma inovadora modalidade de ensino direcionada para o público alvo específico dos cidadãos fora da escolaridade obrigatória que pretendam obter o diploma do Ensino Secundário, em condições que lhes permitam prosseguir estudos superiores. Para além dos maiores de 18 anos, podem também frequentar os maiores de 16, desde que integrados no mercado de trabalho.

Prova de Conhecimento da Língua Portuguesa para Aquisição de Nacionalidade


Está aberto o procedimento de inscrição para a realização da Prova do Conhecimento da Língua Portuguesa para Aquisição da Nacionalidade (PaN) no território nacional, nos termos do previsto no Regulamento da Nacionalidade Portuguesa. A realização da PaN terá lugar em Lisboa, entre os dias 12 e 14 de dezembro de 2016, em local a designar. O período de inscrição decorrerá entre o dia 14 de outubro e o dia 10 de novembro de 2016.

A inscrição para a PaN, nas suas diferentes modalidades, é realizada na página de Internet do IAVE, I. P., em formulário próprio.

A inscrição na prova está sujeita ao pagamento de uma taxa no valor de sessenta e cinco euros (€65,00), cuja liquidação é feita através
de pagamento automático em caixas multibanco ou por vale postal, nas lojas CTT.

 

Para mais informações consulte o AVISO N.º 12620-C/2016 – DIÁRIO DA REPÚBLICA N.º 198/2016, 1º SUPLEMENTO, SÉRIE II DE 2016-10-14

Renovar do entusiasmo pela aprendizagem


O processo RVCC juntou as duas candidatas Luisa Machado e Natália Oliveira, duas mulheres com percursos de vida diferentes, mas com o mesmo intuito o de conseguir fazer das suas vidas uma experiência reconhecida.

Trabalharam para demonstrar as suas competências e como a  jornada proposta tem em vista mais futuro do que passado ficou o renovar do entusiasmo para a aprendizagem constante e o traçar de novos trilhos de formação.

Deixamos aqui os seus testemunhos e o profundo reconhecimento pelo exemplo de dedicação e determinação no concretizar dos seus projetos.

Para mim o processo RVCC foi um mergulhar nas oportunidades de aprendizagem da vida, mas também foi enriquecimento com  novos saberes e competências.

Quando iniciei este projeto tinha a noção que não iria ser tarefa fácil e  foram meses de intenso trabalho, esforço, dedicação e conciliação com a vida familiar e profissional. Mas  o balanço que faço é muito positivo.

Proporcionou-me, não só a uma autoavaliação das minhas competências, mas também desenvolvi novas aprendizagens. Ao pesquisar sobre os temas propostos fui aprendendo muito  e  a própria construção do meu portefólio digital ajudou-me a ter mais desembaraço na literacia digital.

Desenvolvi também muito a capacidade de reflexão, dando importância às lembranças que por vezes ficaram guardadas na minha memória e detendo-me em assuntos importantes da  sociedade atual.

Luisa Machado – Candidata certificada RVCC secundário

Este processo foi para mim ouro sobre azul.

Foi a possibilidade de relembrar e evidenciar aquilo que a minha vida me permitiu aprender. Foi também a oportunidade de refletir sobre assuntos como a revolução de 1974, a evolução dos direitos da mulher, os contratos de trabalho, problemas  ambientais. Analisei cartazes publicitários, entrei no mundo da poesia com José Saramago. Aumentei os meus conhecimentos nas TIC sobretudo no Excel e no PowerPoint e sobretudo escrevi e li muito em língua portuguesa.

Por tudo isto e pela forma como fui motivada a não desistir,  gostei do processo de construção do meu portefólio. Sinto-me motivada para continuar a minha formação depois deste processo.

Natália Oliveira – Candidata certificada RVCC B3

A Secundária em Festa


O percurso bem sucedido de doze formandos do curso EFA – tipo C e de duas candidatas do processo RVCC (Básico e Secundário) foi assinalado no dia 24 de junho com uma festa idealizada e concretizada pelos próprios formandos.

Em ambiente de arraial, pelas 21:00 horas, familiares e amigos aguardavam pelo espetáculo que iniciou  com os bailarinos Raquel Segurado e Marcos Sans, numa arrojada exploração  do movimento corporal. Seguiu-se um momento musical com uma interpretação, pela formanda Andreia Marques e ex-aluna do ensino regular, Sofia Freitas, do tema “Seja Agora” dos Deolinda. Antes da entrega de diplomas, a coordenadora do CQEP, a mediadora do curso EFA e a Técncica de ORVC proferiram breves palavras de reconhecimento pelo esforço desenvolvido pelos candidatos, sublinharam a importância da apropriação do conhecimento, reconheceram o bom ambiente vivido aos longos dos meses de formação e fizeram votos de concretização dos respetivos sonhos. O espetáculo continuou com uma coreografia apresentada pelos formandos do curso EFA e a  formadora Estefânia Pires, acompanhados pelos bailarinos Raquel Segurado e  Marcos Sans.

Bem ao jeito das festas populares, seguiu-se um salutar convívio entre todos os presentes à volta de mesas bem recheadas.

Esta festa foi ocasião de reconhecimento público de competências escolares e de demonstração de muitos outros talentos, nomeadamente nos domínios do entretenimento, da pastelaria e da logística de organização de eventos. Foi também um bom exemplo de articulação de esforços para a concretização de um projeto comum. Destaca-se o empenho dos formandos do curso EFA e da formadora Estefânia Pires, bem como a gentileza do União Desportiva e Cultural do Reguengo e da Junta de Freguesia de Almagreira que emprestaram o palco e o suporte para o mesmo e ainda o apoio técnico do professor Sérgio Cardoso e dos auxiliares da ação da educativa.

Cristina Costa

Festa de entrega de diplomas curso EFA e RVCC


Em ambiente de Santos Populares, vamos festejar a conclusão do percurso formativo dos formandos do curso EFA – tipo C e de duas candidatas do  processo RVCC de nível básico e secundário.

Depois de uma demonstração de competências artísticas dos formandos e formadores, teremos um arraial de danças, aromas  e sabores onde não faltarão os icónicos mangericos com as suas românticas quadras.

Dia: 24 de junho

Hora: 21:00

Local: Escola Secundária de Pombal

 

 

Tertúlia “À conversa sobre ética”


No serão do dia 18 de maio de 2016, o auditório Dra Gabriela Coelho, encheu-se com formandos, formadores, amigos e familiares para a conversar sobre ética, iniciativa do curso EFA escolar de nível secundário à qual se juntou o CQEP com os candidatos do processo RVCC.

Falar sobre ética é falar sobre a vida do homem, a sua intrincada e rica teia de relacionamentos, que na sociedade tecnológica acontecem cada vez mais na rede. Assim, foi sobre a ética nas redes sociais que a Dra Mariana Fontes deu início à nossa Conversa. Focou determinados tipos de criminalidade como a pornografia infantil, o phisching, o cyberbullying e procurou alertar para o facto de a rede constituir um risco, aconselhando prudência e recato pessoal de quem a utiliza.

Seguiu-se a perspetiva de uma médica, Dra. Ana Sousa, que procurando responder às questões colocadas pela plateia, foi abordando temas como a eutanásia, o testamento vital, o sigilo, as barrigas de aluguer, as normas deontológicas. Chamada a viver a sua profissão em atitude de missão ao serviço da qualidade de vida e dignidade do ser humano, defendeu que a única via válida para tomar decisões é a própria consciência.

O Mestre Nuno Rosa, Presidente da Secção de Judo da Associação Académica de Coimbra e estudante da Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física, começou por dar o seu testemunho enquanto ex-candidato do processo RVCC de nível secundário no Centro Novas Oportunidades da Escola Secundária de Pombal. Apresentou a sua vida numa metáfora da superação de si, sublinhou a importância do esforço para a concretização dos sonhos e a queda  como parte do processo de crescimento. Defendeu que é na família que se desenvolvem grande parte das características, positivas ou negativas da criança e que a prática desportiva é uma via de musculação física, mas também moral do indivíduo. Em interação com os presentes, destacou a saudação inicial que acontece no judo enquanto expressão de gratidão e respeito pelo adversário; falou do doping que traz prejuízos à ética desportiva, à integridade física e psíquica dos atletas. Concluiu apelando ao comprometimento de todos os presentes na responsabilidade incondicional do eu perante o outro. O verdadeiro humanismo é o legado maior que poderemos deixar.

A conversa prolongou-se no CQEP com chá e bolos trazidos pelos formandos do Curso EFA e suas formadoras, servidos em ambiente acolhedor preparado pela equipa do CQEP com a colaboração dos professores Fernanda Gomes e Jorge Claro.

Os objetivos da atividade foram agradavelmente alcançados com este espaço de encontro com o outro e consequente humanização da nossa escola. Parabéns pela iniciativa do curso EFA e um profundo agradecimento aos nossos convidados, em particular à Dra. Mariana Fontes, Dra. Ana Sousa e Mestre Nuno Rosa.

Cristina Costa

Ações de sensibilização para o empreendedorismo


O Programa CLDS 3G, Projeto “Rosa dos Ventos”, irá dinamizar, em parceria com a Incubadora D. Dinis (IDD), dois Workshops de Sensibilização e informação para o Empreendedorismo, intitulados: “Testar a Ideia” e “Da Ideia para o Papel”.
Os workshops destinam-se a todos os interessados no tema e irão decorrer na Junta de Freguesia de Pombal, nos próximos dias 24 e 31 de Maio de 2016, das 10h00 às 12h30.

Tertúlia “À conversa sobre ética”


O CQEP associa-se aos formandos do curso EFA NS que no âmbito da 3ª atividade integradora irão dinamizar uma tertúlia subordinada ao tema: “À conversa sobre ética“.

Dia: 18 de maio

Hora: 21:00

Local: auditório Gabriela Coelho

Temas  e intervenientes:

Ética no Desporto (orador Nuno Rosa)

Ética nas Redes Sociais (oradora Mariana Fontes)

Ética na Saúde (oradora Ana Sousa)

O convite estende-se a toda a comunidade.

Participe também na Tertúlia!

Pausa reflexiva sobre educação permanente


Nos dias 29 e 30 de abril, decorreu, no Auditório José Mariano Gago, no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa, o Encontro Nacional “Educação Permanente em Tempo de Mudança: Saber para Transformar”, organizado pela Associação Portuguesa para a Cultura e Educação Permanente (APCEP).

Etivemos entre os 350 participantes desejosos de aprofundar o conceito de Educação Permanente e refletir sobre estratégias de promoção do Saber para todos nos vários tempos e espaços da vida.

Ficou-nos a distinção entre Educação Permanente e Educação de Adultos apresentada pelo professor Rui Canário sendo o primeiro conceito definido como um processo reorganizador de todo o sistema de ensino. A Educação Permanente começa, por conseguinte, na educação precoce, relembrando o Relatório Faure (UNESCO, 1972),  que aponta para uma conceção da aprendizagem como coincidente com o ciclo vital e a construção da pessoa.

Ficou-nos também o reafirmar de que em Portugal o conhecimento é ainda de muito poucos. Melhorar os níveis de educação da população europeia é um objetivo central da estratégia Europa 2020.

O presidente da ANQEP, Gonçalo Xufre, apresentou o que o governo perspetiva na esfera de intervenção da Educação de Adultos. Destacou o programa Qualifica que, entre outras medidas, visa garantir que 50% da população ativa possa concluir o ensino secundário, que a taxa de participação de adultos em ações de Aprendizagem ao Longo da Vida seja de 15% em 2020 e de 25% em 2025, e que se atinja o valor de 40% de diplomados do ensino superior na faixa etária dos 30-34 anos. Entre os vários objetivos operacionais anunciou o aumento do número de CQEP, a formação de formadores, a reformulação do Catálogo Nacional de Qualificações e do Referencial de Competências-Chave de nível básico.

Houve ainda espaços de partilha de projetos inovadores como  Ler + às 5ª, RAP (Redução Abandono Precoce), Banco do tempo, LIDIA (literacia digital de adultos)…

Este encontro foi para nós inspiração para transformar as estratégias do CQEP do nosso Agrupamento para uma melhor concretização da missão de democratização do conhecimento.

Cristina Costa

Certificado para a estabilidade profissional


Chamo-me Bernardino Carvalho, tenho 50 anos e acabo de realizar o processo RVCC – B1.

Deixei a escola ainda muito novo, com a 2º classe, para ir trabalhar, mas em 2015 tive necessidade de me dirigir ao CQEP do Agrupamento de Escolas de Pombal porque na Câmara Municipal, onde trabalhei num programa ocupacional (POC), pediram-me o certificado de conclusão do 1º Ciclo para poder ser contratado como cantoneiro.

Ao iniciar o processo RVCC, tinha medo de não ser capaz de compreender o que os formadores dissessem e de não fazer o que me pedissem. Empenhei-me muito, nunca faltei às sessões, fazia o que sabia e, com persistência, consegui.

Ao chegar  ao final da construção do portefólio, senti orgulho pelo trabalho realizado. Nunca tinha escrito tanto e ainda por cima no computador. Tive que ler muito e, desde que comecei o processo RVCC, já leio as gordas nos jornais pois sei que me ajuda a treinar a leitura. Até já consigo ler as legendas na televisão que exigem que leia rápido. Gostei de refletir sobre questões do ambiente, os símbolos da nação, o direito de voto. Fiz muitas contas de dividir, de somar, de multiplicar. Calculei áreas, distâncias, tomei consciência do que eram sequências.

Chegou a hora de realizar as provas, mas a equipa (pessoas boas, simpáticas) dizia que o pior já tinha passado e que eu ia conseguir. Assim foi. Consegui o que queria. Foi um processo demorado, mas valeu a pena.

 Bernardino Carvalho – Candidato  RVCC – B1

Unidos numa causa comum – Fruto da reflexão sobre casas sustentáveis


“Unidos numa causa comum” foi o tema da 2ª Atividade Integradora do curso EFA de nível secundário. Na área de competência-chave de Cidadania e Profissionalidade, resultou numa pesquisa sobre casas típicas de diversos países do mundo enquanto que, na área de competência-chave de Sociedade, Tecnologia e Ciência, se concretizou na construção de maquetas de casas sustentáveis.

Relativamente às casas típicas, concluiu-se que a sua enorme diversidade está relacionada com aspetos culturais mas, sobretudo, com a adaptação das mesmas ao clima das várias regiões do globo.

No que respeita à construção das maquetas, os conhecimentos adquiridos nas sessões de formação de STC_2 – Ambiente e Sustentabilidade, foram muito úteis, nomeadamente os conceitos de eficiência energética, conforto térmico e técnicas de isolamento, aquecimento e arrefecimento das habitações bem como orientação solar.

Assim, e para que as casas sejam sustentáveis, entre outras características, integram lã de rocha no seu revestimento, painéis fotovoltaicos, vidros duplos e ecopontos.

Esta experiência foi muito enriquecedora uma vez que permitiu a concretização de uma atividade de pequenos grupos que  envolveu bricolagem e aplicação de conhecimentos, resultando em casas amigas do ambiente, esteticamente bonitas.

 

Os formandos do Curso de Educação e Formação de Adultos

Objetivo alcançado


No dia 21 de março, os candidatos Ana Gameiro e Ricardo Pinto receberam os seus certificados e diplomas de conclusão do nível secundário através do processo RVCC escolar e deixaram o seu testemunho.

“A realização do processo RVCC foi muito gratificante. A construção do portefólio avivou boas memórias e com elas também nostalgia. Recordei momentos vividos desde a minha infância até à atualidade com os quais aprendi. Sorri e ri-me muito aquando a sua elaboração. Também desenvolvi metodologias de pesquisa sobre temas relevantes do passado e da atualidade o que requereu muito tempo e trabalho árduo.

Não   posso deixar de referir que não conseguiria realizar este processo sem o apoio incondicional do meu querido marido e dos meus dois filhos fofinhos, que nunca me deixaram desistir. Por isso, posso afirmar que o processo RVCC reforçou laços. Finalmente, tenho consciência que a concretização deste objetivo também se deveu ao apoio excecional de toda a equipa do CQEP, que sempre  me incentivou na melhoria contínua e no estímulo para avançar.

O meu muito obrigado!”

Ana Gameiro – Candidata processo RVCC NS

“A realização do processo RVCC e a consequente  certificação de nível secundário  foi para mim muito vantajosa, pois trabalho na exportação e as habilitações literárias facilitam a entrada noutros países . O facto de ter realizado o processo à distância e presencialmente facilitou a concretização deste objetivo. Tenho a agradecer a todos os profissionais do CQEP por todo o apoio prestado e não quero ficar por aqui, pois num futuro próximo pretendo realizar um curso em gestão ou marketing. Vou analisar as possibilidades com o CQEP de forma a conciliar com a minha atividade profissional.”

Ricardo Pinto – Candidato processo RVCC NS

Dia Mundial da Poesia celebrado com serão na BE


No dia 21 de março, os candidatos do processo RVCC e os formandos do curso EFA foram convidados a despertar todos os sentidos para celebrar o dia Mundial da Poesia.

Partindo da obra de José Saramago “A maior flor do mundo”, a professora bibliotecária, Fernanda Gomes e a coordenadora do Departamento de Português, Lídia Ribeiro, partilharam saber e sensibilidade na apresentação do homem humilde vencedor português do prémio Nobel da Literatura (1998) e do seu jogo subtil de palavras. Em ambiente acolhedor, juntando livros e tecnologias, palavras e imagens, jogo e declamação, chá e biscoitos, motivaram para a leitura e para a escrita criativa.

Ficará certamente na memória de todos os participantes a noite em que o espaço da BE se iluminou e floriu para celebrar a POESIA.

Um profundo agradecimento à equipa da BE e à professora Lídia Ribeiro, mas também aos alunos e professor Jorge Claro do curso Profissional Técnico de Restauração – Restaurante Bar que gentilmente colaboraram com a  “mise en place”.

Ler mais…

Comemoração do Dia da Poesia na BE


O CQEP e a BE da Escola Secundária de Pombal associam-se na comemoração do dia mundial da Poesia. Assim, no dia 21 de março, a partir das 20:00 horas, inspirados na obra “A maior flor do Mundo” de José Saramago, os candidatos do processo RVCC e os formandos do curso EFA escolar de nível secundário serão desafiados para uma viagem de emoções individuais num encontro entre a tecnologia e a POESIA.

Cristina Costa

EFA – olhar sobre Pombal enquanto centro de cultura


No âmbito da atividade integradora da primeira UFCD, realizámos, em grupos, dois trabalhos: um poster científico sobre um cientista português, na área de competência-chave de Sociedade, Tecnologia e Ciência, e um filme sobre os monumentos históricos do concelho de Pombal, que teve como título “ Pombal, um centro de cultura”, nas áreas de competência-chave de Cultura, Língua e Comunicação e de Cidadania e Profissionalidade. O resultado final dos referidos trabalhos esteve exposto no átrio da escola entre os dias 3 e 12 de fevereiro do corrente ano.

A experiência de realizar um poster científico foi muito enriquecedora pois ficámos com uma maior noção dos feitos dos nossos cientistas portugueses. Ao realizar o filme, ficámos a conhecer o vasto património cultural da nossa cidade e concelho, o que foi deveras enriquecedor. É de salientar que todo o levantamento de imagens  do nosso concelho nos dias de hoje foi realizado com fotografias originais, tiradas por nós e, apesar de ter sido um desafio difícil e trabalhoso, foi muito gratificante.

A experiência do trabalho de grupo foi igualmente satisfatória, criando uma maior dinâmica na turma e espírito de equipa.

O balanço da atividade foi positivo, visto que conseguimos atingir os objetivos propostos e dar-nos a conhecer à nossa comunidade escolar.

Os formandos do curso EFA

Ler mais…

A persistência é o caminho do êxito


Chamo-me Dina e tenho 49 anos, terminei o processo de RVCC de nível B3 em dezembro 2015. Para mim, este processo foi a valorização daquilo que fui aprendendo ao longo da vida, mas também uma oportunidade de ganhar mais conhecimentos.

Com a vida, aprendi a fazer as lidas domésticas e vários trabalhos agrícolas, a cuidar de crianças e idosos, a dominar técnicas de atendimento ao público no comércio e na restauração, a respeitar regras de higiene e segurança na cozinha e, graças à ajuda das minhas filhas, aventurei-me no mundo da informática.

Com este processo, pude relembrar os conhecimentos adquiridos nos meus tempos de escola e aprofundar outras matérias. Melhorei a minha capacidade de escrita, em especial nos domínios da ortografia e da acentuação, tomei consciência da importância da matemática no meu dia a dia, explorei mais algumas potencialidades do computador, refleti sobre os problemas da nossa sociedade e foi positivo relembrar factos históricos que permitiram que eu viva hoje numa democracia com direitos e deveres.

Tive a oportunidade, não só de trabalhar em grupo, com os meus colegas do processo RVCC, mas também individualmente, com a Técnica de ORVC e os formadores. Não foi fácil construir o portefólio e preparar-me para as provas, mas como afirmou Charles Chaplin, “A persistência é o caminho do êxito”. Estou muito orgulhosa por ter alcançado a meta. Quero agradecer a todos que me apoiaram ou seja a equipa do CQEP do Agrupamento de Escolas de Pombal,  à minha família e amigos.

Dina Faria

Candidata do processo RVCC – B3

Medida Cheque-Formação


A Portaria nº229/2015, de 03 de agosto vem instituir a medida Cheque- Formação, modalidade de financiamento direto às entidades empregadoras, trabalhadores empregados e desempregados inscritos nos centros de emprego que visa incentivar a formação profissional, designadamente da prevista no Código do Trabalho (artºs 130º a 134º) e cujo dever de execução recai sobre as empresas, potenciando a criação e manutenção de emprego e o reforço da qualificação.

Para mais esclarecimentos sobre a candidatura e operacionalização da formação, a entidade formadora MEGAEXPANSÃO vai realizar um a sessão de informação gratuita (via Youtube- Webinar) no dia 30 de janeiro (Sábado), pelas 15:00h.

Se não conhece a medida cheque-formação, ou se ainda tem dúvidas, porque não relaizar sua inscrição AQUI.

EFA – espaços de aprendizagem


Numa abordagem curricular integradora, os 27 formandos do curso EFA escolar de nível secundário, acompanhados pela equipa técnico pedagógica, realizaram, no serão de 13 de janeiro, uma visita ao Museu Municipal Marquês de Pombal e Museu de Arte Popular Portuguesa. Este olhar, orientado pela diretora do museu, Dra. Cidália Botas, sobre o património local, o génio e versatilidade do estadista Sebastião José de Carvalho e Melo (Marquês de Pombal) e ainda a riqueza e diversidade do artesanato nacional , constituíram certamente um contexto significativo para (re)criar conhecimento nas áreas de Cidadania e Profissionalidade, Cultura, Língua e Comunicação e Sociedade, Tecnologia e Ciência. Aguardamos pela exposição a acontecer, no átrio da Escola Secundária, de 3 a 12 de fevereiro e que contará com a reflexão acerca deste espaço de aprendizagem.