Concurso Escolar de Leitura “Ler para Vencer”


No dia 11 de maio, pelas 14:30h, no auditório e na biblioteca da escola Marquês de Pombal, decorreu a fase final da 13.ª edição do concurso escolar de leitura “Ler para Vencer” sob a organização dos professores que lecionam a disciplina de Português no 2.ºCEB e com a colaboração da biblioteca escolar.

Sendo um evento de leitura expressiva em voz alta destinado ao 2.º CEB, o concurso contou com a presença de 15 leitores representantes das diferentes turmas dos 5.º e 6.º anos. Estes finalistas foram, numa 1.ª fase, eleitos pelos colegas de turma, tendo o privilégio de representar as mesmas nesta fase final.

As leituras tiveram por base as obras: “Histórias à Solta na Minha Rua”, de António Torrado (5.º ano) e “Os Piratas”, de Manuel António Pina (6.º ano). Para a apreciação das leituras foram constituídos dois júris de três elementos cada, um por cada ano de escolaridade, integrando elementos das comunidades educativa (professores e assistente(s) operacional(ais) e local (Dr.ª Daniela Martins, coordenadora da Biblioteca Municipal de Pombal e Sérgio Soares, gerente da Papelaria/Livraria Soares).

Dando voz à leitura, os nossos finalistas, apesar de alguns nervos à mistura, mostraram os seus dotes no domínio da leitura expressiva, tendo sido apurados os seguintes vencedores:

5.º ano: 1.º Gerwagner Silva – 5.ºA/ 2.º Mafalda Lopes – 5.ºG/ 3.º Abigail Ferreira – 5.ºD

6.º ano: 1.º Luís Pataco Leal – 6.ºA/ 2.º Nelson Mota – 6.ºD/ 3.º Lara Simões – 6.ºF

Na presença dos professores de português do 2.º CEB, das entidades externas e parceiras convidadas, de alguns encarregados de educação e outros alunos, procedeu-se à cerimónia da entrega de prémios e diplomas de participação, na biblioteca escolar, numa tarde muito agradável dominada pelos livros, pelas leituras e pelos protagonistas – os alunos.

Um especial agradecimento à Porto Editora e à Livraria/Papelaria Soares por terem patrocinado a atividade com a oferta de livros e lembranças para os vencedores e demais participantes.

João Silvano