Estatística: Ferramenta de Formação Cívica


No dia 14 de fevereiro de 2019 os alunos do EFA e os candidatos do processo RVCC tiveram a oportunidade de participar numa palestra subordinada ao tema “Estatística: Ferramenta de Formação Cívicadinamizada pelo Dr. João Paulo Martins, docente do Departamento de Matemática da Escola Superior de Tecnologia e Gestão, do Instituto Politécnico de Leiria.

O palestrante começou por apresentar a origem e a história da Estatística bem como os diferentes Matemáticos ligados à mesma. De seguida  apresentou vários exemplos de informações estatísticas e referiu a importância de se analisar  de forma crítica toda a informação que nos apresentam ( jornais, televisão, publicidade,….), dado  que a informação estatística com que somos confrontados diariamente é frequentemente apenas uma informação parcial. Alertou, ainda, para a importância de  compreender que os mesmos dados, consoante as medidas de redução de dados, representações gráficas ou tabelas utilizadas, podem conduzir a conclusões diferentes. Para terminar, os formandos presentes, em grupo, foram desafiados a fazer a análise de notícias com informação estatística sobre um mesmo assunto mas feita por jornais diferentes. A análise foi apresentada pelo porta voz de cada grupo. Em todas as notícias foi possível identificar que notícias sobre o mesmo assunto levavam a conclusões diferentes e era possível identificar possíveis enviesamentos na informação.

A abordagem apresentada salientou que  a Estatística pode ser  utilizada de forma perversa para influenciar a opinião pública acerca de  determinados assuntos ou para representar a suposta qualidade e eficácia de produtos comerciais.

Para concluir enfatizou-se a importância e a necessidade de sermos  cidadãos esclarecidos e críticos em relação à informação estatística com que nos deparamos no nosso dia a dia.

Ana Francisco – Formadora de MV do processo RVCC

Leitura e cinema no Centro Qualifica


A apresentação do livro do jornalista norte-americano Franklin Foer “Mundo Sem Mente”, com a leitura de alguns excertos e o visionamento do filme “Jogo de imitação” do realizador norueguês Morten Tyldum foram fonte de conhecimento e agentes de reflexão nas sessões de formação do processo RVCC e curso EFA de nível secundário, no serão de 28 de janeiro.

A mensagem de uma obra que denuncia o impacto da alta tecnologia no dia-a-dia e sobretudo a invasão da privacidade dos utilizadores da Google, da Amazon, do Facebook, da Microsoft e da Apple não poderia ser mais oportuna para cumprir os objetivos das áreas de competências-chave de Sociedade, Tecnologia e Ciência e de Cultura, Língua e Comunicação no que se referem à  temática redes e tecnologias.

Com referências a Alan Turing, Stuart Brand e as origens hippies de Silicon Valley, a obra apresenta-nos os fundamentos da GAFA (Google, Apple, Facebook, Amazon) e questiona (denuncia) se o seu intuito subjacente não será de moldar a humanidade à imagem que deseja.

Num aprofundamento sobre o conhecimento de Alan Turing matemático, criptoanalista britânico com um papel relevante na criação do computador, os candidatos em processo RVCC e os formandos do curso EFA puderam ainda assistir ao filme “Jogo de imitação”.

Como em toda a sessão de cinema, não faltaram pipocas. Aliou-se o prazer de ler e de assistir a um filme à urgência da reflexão. Em tempos da vertiginosa evolução das tecnologias de informação e da comunicação deparamo-nos com a necessidade de não nos deixarmos deslumbrar.

“Facilmente nos maravilhamos com estas empresas e suas invenções, as quais costumam facilitar-nos a vida. Mas já perdemos demasiado tempo maravilhados. Chegou a altura de pensarmos nas consequências destes monopólios, de reavaliarmos o nosso papel na determinação do rumo humano. A partir do momento em que cruzemos determinados limites – assim que transformarmos os valores das instituições, assim que abandonarmos a privacidade – não haverá regresso, não teremos como restaurar a individualidade perdida”.

Franklin Foer

Cristina Costa – Coordenadora do Centro Qualifica

Afetividade: um dos lados efetivos da Educação de Adultos


A maioria das pessoas lembra, de alguma forma, como a relação com um ou mais professores marcou o seu percurso escolar. Puxando pelas lembranças, emerge uma teia de sentimentos, emoções e subjetividades. Nas pessoas adultas, com frequência, surgem histórias de interrupção da vida escolar face à necessidade de a criança (ou jovem) ajudar os pais na agricultura, o que, muitas vezes, era agravado pela distância entre a residência e a escola ou pela ausência de uma rede de transportes.

São muitas destas crianças e jovens, hoje pessoas adultas, que veem na porta do Centro Qualifica do Agrupamento de Escolas de Pombal a oportunidade de dar continuidade a um trajeto escolar colocado precocemente à margem das suas vidas, devido ao despontar de novas necessidades e prioridades.

Nas primeiras sessões de reconhecimento de competências, enquanto se apropriam de uma metodologia “nova” (autobiográfica, distinta das abordagens escolares) e quando questionadas sobre o motivo que aqui as trouxe, recordam os “fantasmas” e as dificuldades de idos tempos de escola. O decorrer do processo traz-lhes clarividência: a possibilidade de combater a erosão do saber, ao revisitar conceitos e conteúdos nas sessões de formação complementar; e a emancipação, pelo aumento da autoconfiança e melhoria da capacidade de autoconhecimento. Há partilha e um contrato que estipula a empatia como condição basilar de todo o processo. Há, também, aprendizagem de ambas as partes: tantas vezes a equipa aprende com cada História que ouve, lê, orienta e encaminha… Depois, há ainda aqueles momentos com os quais os nossos candidatos, ao traduzirem o processo em objetos simbólicos, expressam o valor que esta caminhada lhes representa.

Para que a afetividade se transforme numa ferramenta efetiva ao serviço da Educação de Adultos, visando o estabelecimento de vínculos de aproximação, é imprescindível a construção de sentimentos positivos assentes no respeito mútuo e na confiança. Neste contexto, a relação percebida entre a equipa técnico-pedagógica extravasa a dimensão cognitiva. É assim que, tanto o(a) técnico(a) como o(a) formador(a) vestem a missão de incentivar cada pessoa em processo, compreendendo-a, orientando-a, motivando-a para chegar a bom porto e contribuindo para que tome consciência de que é a peça fundamental no seu processo de Aprendizagem ao Longo (e em todos os espaços) da Vida.

Isabel Moio – Técnica de ORVC

Partilha de saberes sobre os perigos da automedicação


Em parceria com o projeto de Educação para a Saúde, o Centro Qualifica investe em ações que promovem a literacia em saúde e valorizem comportamentos que conduzam a estilos de vida saudáveis.
Os perigos da automedicação foi o tema da sessão do dia 7 de março 2018, com o médico Válter Santos, no auditório da Escola Secundária de Pombal.
Em interação com os candidatos do processo de RVCC (Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências), o jovem médico, antigo aluno da nossa escola, alertou para o facto da prática da automedicação poder tornar-se um problema com consequências muito graves, nomeadamente: contribuir para erros de diagnóstico uma vez que pode esconder determinados sintomas; anular ou potenciar a ação de medicamentos em uso; provocar intoxicações e reações alérgicas.
Alertou ainda para a necessidade de conservar corretamente os medicamentos. Sob a influência da luz, calor ou humidade, os medicamentos podem deteriorar-se. Também deve ser dada especial atenção à preservação da embalagem. Deu o exemplo do Brufen esquecido no fundo da carteira de senhora, ao qual se recorre, numa emergência, quando já está fora de validade ou com o blister danificado.
Recorrendo a muitos exemplos, clarificou que uma dose acima da indicada, administrada por via inadequada ou uso para fins não indicados, podem transformar um remédio num tóxico.
Finalizou a sua intervenção com alguns vídeos, realçando o facto da publicidade nos diferentes meios de comunicação social ser uma possante fonte de informação, por vezes enganosa, e influência sobre a compra e uso de medicamentos não sujeitos a receita médica (MNSRM).
Todos os presentes agradeceram a partilha de saberes que, num ambiente muito agradável, o Dr. Válter Santos nos proporcionou. Ficámos mais esclarecidos e pudemos refletir sobre os nossos hábitos no que diz respeito à toma de medicamentos.

Cristina Costa

Pontes para a construção de conhecimento


Este é normalmente um período de balanço do ano prestes a findar e também de definição de propósitos e objetivos para o novo ano que se aproxima.

Não poderíamos deixar de dedicar um tempo desta época para um momento especial de Gratidão a todos aqueles que contribuíram para a construção do conhecimento, abriram portas e foram pontes.

Trazemos à memória uma iniciativa que foi um alento no fortalecimento da pedagogia realizada fora dos muros escolares e da importância  da comunidade como elemento-chave em prol do êxito educativo.

Obrigada ao professor Joaquim Eusébio que partilhou os seus saberes a partir do Canadá através de uma videoconferência.

Obrigada ao Pombal Jornal, PombalTV e 97 FM Rádio Clube de Pombal nas pessoas da Dra. Manuela Frias, Dra. Rita Ribeiro, Dr. Paulo Delfim que acederam ao convite para uma mesa redonda sobre os meios de comunicação regionais.

Obrigada à Dra. Ana Carolina de Jesus que permitiu aos formandos do curso EFA e aos candidatos do processo RVCC fazerem a experiência de uma gravação nos estúdios da 97 FM Rádio Clube de Pombal assinalando o Dia do São Martinho com uma reflexão sobre a importância da castanha na nossa alimentação  e o Dia Nacional da Cultura Científica com “Sumo de Ciência“. 

Obrigada também a todos os elementos das equipas técnico-pedagógicas do EFA e do Centro Qualifica pelo seu empenho e ainda à Direção do Agrupamento de Escolas de Pombal que criou as condições logísticas para a  concretização do projeto.

 

Cristina Costa

Coordenadora do Centro Qualifica

Motivos para festejar no Centro Qualifica


O mês de dezembro foi de festa para o nosso Centro Qualifica. Doze candidatos conseguiram concretizar o objetivo a que se propuseram: o processo RVCC B2 (três candidatos), B3 (cinco) e nível secundário (quatro).

Muitos Parabéns a todos!

O desejo profundo de todos os elementos da equipa do Centro é que a reflexão sobre o caminho percorrido nas páginas da vida alargue as possibilidades para novos projetos formativos, profissionais e pessoais.

Cristina Costa

Coordenadora do Centro Qualifica

Noite de glamour para a entrega de diplomas do Centro Qualifica


Teve lugar no dia 21 de julho, a Cerimónia de Entrega de Diplomas dos candidatos do processo RVCC bem como dos cursos EFA e Português para Falantes de Outras Línguas. O átrio da Escola Secundária de Pombal encheu-se de papagaios de papel, metáfora colorida dos objetivos pessoais e profissionais e acolheu os candidatos/formandos, os seus familiares e amigos para celebrar este momento especial das suas vidas, mas também a longa tradição na educação de adultos da Escola Secundária de Pombal.

Depois do Complementar Noturno e do Ensino Recorrente, no ano letivo de 2006/2007, foi criado o Centro RVCC da nossa Escola, que passou rapidamente a ser designado por Centro Novas Oportunidades. Em março 2013, transformou-se em Centro para a Qualificação e o Ensino Profissional, que, em janeiro 2017, deu lugar ao Centro Qualifica.

Foi por conseguinte, em ambiente de festa e de emoção, que se procedeu à entrega dos diplomas aos cinquenta e oito homens e mulheres que se atreveram-se a lutar contra os seus próprios limites, apostando na sua formação para encetar novos voos.

As minhas palavras, enquanto coordenadora do Centro, e do vereador, arquiteto Renato Guardado, foram de incentivo ao dinamismo para a Aprendizagem ao longo da Vida, condição indispensável para responder aos desafios da sociedade em constante mudança.

Particularmente inspirador foi o momento musical proporcionado pelo professor Licínio Maurício que interpretou ao saxofone alguns hits do momento: I feel it coming (the weekdn), Stand by me (seal), Sign of times (Harry styles).

Não faltou o bolo comemorativo e o champanhe a somar a todos os doces e bebidas trazidos pelos candidatos/formandos.

Ficam os registos fotográficos e sobretudo o coração cheio.

Parabéns aos candidatos/formandos, mas também a todos os elementos da equipa do Centro e do Curso EFA.

Obrigada a todos os que tornaram possível a realização deste evento: a Câmara Municipal de Pombal, na pessoa do seu vereador, Renato Guardado, os colegas Licínio Maurício, Fernanda Gomes, Isabel Ferreira, Patrícia Amado, Isabel Palma, Ana Paula Ferreira, Helena Lento, Jorge Rodrigues, Manuel António e também D. Isabel, D. Isa e Sr. Sérgio.

Cristina Costa

Provas de Júri de Certificação


Foi ao fim da tarde do dia 20 de junho que sete candidatos do nosso Centro Qualifica, o João, o Pedro, a Isabel, a Laura, o Abel, a Dulce e o Rui concluíram o seu processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências (RVCC). Foram formalmente reconhecidas as suas competências com a certificação de nível básico para uns (6º e 9º ano) e de nível secundário (12ºano) para outros.

A deliberação do júri tem por base a análise do portefólio do candidato conjugada com o seu desempenho numa prova de certificação, que consiste na apresentação de uma exposição e reflexão em torno de uma temática integradora trabalhada ao longo do Portefólio de Aprendizagens.

Os nossos candidatos enriqueceram todos os que tomaram parte na sessão de júri com curiosidades sobre carros híbridos, habitações sustentáveis e ervas aromáticas; desafiaram para a concretização do sonho de projetos de turismo rural,  para uma visita pelo  mundo dos salões de cabeleireiras, das clínicas dentárias e dos sabores multiculturais.

Parabéns a todos! Todos se podem e devem orgulhar do trabalho desenvolvido.

Desejamos que a passagem pelo Centro Qualifica do nosso Agrupamento, em particular a realização do processo RVCC tenha ajudado a ampliar os espaços de aprendizagem e despertado a alegria da aprendizagem ao longo de toda a vida.

Cristina Costa