Roteiro da diversidade línguística no Curso de Português para Falantes de Outras Línguas


A 26 de setembro comemora-se o Dia Europeu das Línguas e o objetivo é celebrar a diversidade de línguas na Europa bem e procurar atingir a compreensão intercultural.

No curso de Português para Falantes de Outras Línguas (PFOL) também fazia todo o sentido celebrar a diversidade linguística e cultural, pelo que os formandos foram convidados a fazer um exercício de apresentação do seu país, da sua cidade, da ou das línguas oficiais e especialidades gastronómicas.

O resultado é um roteiro que extravasa o velho continente. Descubra connosco algumas cidades da Ucrânia, de Espanha, de Venezuela e da República Dominicana.

Cristina Costa – Coordenadora do Centro Qualifica

Roteiro da diversidade linguística no curso de PFOL

Um ano em retrospetiva: vivências e reflexões


Contrariando estes nossos tempos de aceleração, vamos deter-nos a contemplar o que foi um ano de empenho de cada um dos candidatos do processo RVCC, dos formandos dos cursos EFA e Português para Falantes de Outras Línguas e ainda dos elementos das equipas técnico-pedagógicas.

O tangran – Q – de Qualifica constituiu um elemento decorativo no nosso evento de entrega solene de Diplomas e suporta o edifício de recordações do que foi este ano letivo.

Une, entretece e condensa alguns dos acontecimentos. Desafia a uma demora contemplativa.

Iniciámos o nosso ano letivo com duas semanas dedicadas à Aprendizagem ao Longo da Vida. Com a professora Margarida Cardoso, descobrimos a escritora “pombalense”, Madalena Martel Patrício; por intermédio da Dra. Cidália Botas, visitámos o Museu Marquês de Pombal em horário pós-laboral; com o Presidente de Junta e Deputado, Pedro Pimpão, refletimos sobre o papel das instituições na construção da identidade de Pombal; com a professora Lina Oliveira, centrámo-nos nos media, a liberdade e responsabilidade democráticas; com a Dra. Carolina de Jesus, visitámos a rádio Clube de Pombal, produzimos podcats ” Sumo de Ciência” e, no sarau “Sabores da multiculturalidade”, fomos brindados com a atuação do Teatro Amador de Pombal, uma mímica do conto “Os três porquinhos”.

Ao longo do ano, no âmbito do projeto Ler + Qualifica, tivemos sessões de apresentação de obras e cinema. Destacamos a atividade em parceria com a professora Fernanda Gomes , coordenadora da biblioteca escolar “Ler.com Amor e Humor”. Abrimos as portas da sala de formação de Português para Falantes de Outras Línguas ao Jornal de Leiria para um olhar sobre a multiculturalidade; na semana Crescer com Afetos, usufruímos de sessões de risoterapia e de oxigénio com a colaboração do ginásio Move Up. Através do Clube para a Saúde, com o Doutor Válter Santos e a Doutora Ana Ponciano, refletimos sobre a prevenção do AVC. Sob a orientação do professor Luís Costa e numa visita ao bioparque e piquenique, houve ocasião para determos o nosso olhar sobre a biodiversidade da região de Pombal; explorámos ainda o tecido empresarial sendo o momento alto a visita à queijaria Flôr da Sicó.

Indo ao encontro dos candidatos, realizámos processo de RVCC em regime de itinerância. Três vezes por semana, estivemos no Agrupamento de Escolas da Guia e, no âmbito do projeto 3i, estivemos nas instalações da AICP.

Foi um ano rico de aprendizagens sustentadas numa diversidade de vivências e reflexões.

Cumpre-me agradecer a todos os que contribuíram para estas oportunidades de questionamento, de integração de conhecimento, e de promoção do bem-estar. Um agradecimento especial também ao professor Sérgio Cardoso que “refrescou” a imagem visual do nosso Centro Qualifica e a todos os parceiros nesta nossa missão, de modo especial à Calcus, a Talentus, a AICP, o Agrupamento de Escolas da Guia, o GIP da Guia, a Junta de Freguesia de Pombal e a Câmara Municipal. E, por último, também agradecimento especial a cada um dos elementos da equipa técnico-pedagógica (formadores e técnicos de ORVC) pela  disponibilidade e empenho diário no cumprimento dos objetivos.

A todos, desejo umas merecidas férias. Até setembro para novos desafios!

Cristina Costa – Coordenadora do Centro Qualifica

Centro Qualifica – Sessão Solene de entrega de Diplomas


O Agrupamento de Escolas de Pombal esteve em festa na noite de 19 de julho. Celebrámos um momento significativo: a certificação escolar de 14 candidatos do Curso EFA de nível secundário, 22 de Português para Falantes de Outras Línguas, 32 do processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências (nível básico e secundário).

Dirigido à educação e formação de adultos, o Programa Qualifica arrancou no início de 2017, dispondo hoje de 300 Centros Qualifica em vários pontos do país.

Somos um deles. Somos um pontinho no mapa Qualifica, mas uma célula viva de interação com os diversos departamentos do nosso Agrupamento, entidades, serviços públicos e privados, com a missão de contribuir para o desenvolvimento da população adulta, no apoio à valorização da diversidade de saberes e competências adquiridas nos mais variados contextos, mas também na construção de novos saberes e competências, na concretização de objetivos pessoais e profissionais.

Com recurso à teia de relações dos nossos formandos/candidatos, fomos brindados com apontamentos musicais: o grupo Gypsies de Pombal, os Candle e os Toca sem dó.

Numa expressão de valorização da educação de adultos, a Dra Ana Cabral, Vereadora da Educação, fechou a narrativa da passagem pelo Centro Qualifica dos nossos 68 formandos/candidatos com palavras de reconhecimento pelo esforço e mérito de cada um dos presentes incluindo familiares, formadores, técnicos, mediadora do curso EFA, coordenadora do Centro e Diretor do Agrupamento na concretização da missão do Programa Qualifica. Destacou os sentimentos e emoções despertados pelos testemunhos de alguns dos formandos/candidatos. Alegria e gratidão foram as notas dominantes.

De coração cheio prosseguimos a confraternização num ambiente menos formal deixando-nos despertar por outros sentidos e aguçando o paladar.

Foi seguramente para todos um momento muito feliz do nosso Centro Qualifica.

Cristina Costa – Coordenadora do Centro Qualifica

 

V Seminário Nacional de Educação e Formação de Adultos


No dia 5 de julho, o auditório da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra acolheu o V Seminário Nacional de Educação e Formação de Adultos, subordinado ao tema “Educação de Adultos, Literacia Mediática, Ética e Democracia”.

Na sessão de abertura, o chefe de gabinete do Secretário de Estado da Educação, Jorge Morais, sublinhou que que, muitas vezes, o trabalho dos profissionais desta área “é no café”. Não necessariamente em termos estritos, pois com esta imagem era seu intuito reforçar a importância dos contactos presenciais e das parcerias, pelo que é imprescindível “cativar as pessoas” para estreitar sinergias.

A primeira mesa temática intitulou-se “Contributos para uma consciência crítica e (in)formada na sociedade da informação e ‘fake news’”. A este propósito, e primando a educação e formação de adultos pela vertente humana, Manuel Carvalho da Silva (sociólogo e investigador do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra) referiu que “no limite estamos na era digital, não na sociedade digital”, pois “não se trata de uma questão semântica. A sociedade é humana”. É por isso que Alberto Santos (escritor, advogado e ex-presidente de Câmara), considera que “temos de tomar uma vacina psicológica anti ‘fake news’” e, na opinião de Luís Alcoforado (docente na FPCEUC), “a Educação de Adultos deve tirar-nos das gaiolas nas quais, por vezes, a sociedade nos coloca”.

A segunda mesa temática debruçou-se sobre “Literacias: praxis e prioridades”. A este propósito, Dina Soeiro (docente na Escola Superior de Educação de Coimbra) sublinhou a relevância de “estar ao nível horizontal para criar laços e afetos” e que “um sorriso e um abraço à entrada e à saída são fundamentais”. Ainda com destaque nas relações interpessoais, Luís Rothes (docente na Escola Superior de Educação do Porto) partilhou a sua experiência enquanto especialista e coordenador de vários projetos de Educação e Formação de Adultos referindo que “é decisivo que os coordenadores não esmaguem nem apaguem o resto da equipa”.

O Centro Qualifica do Agrupamento de Escolas de Pombal fez-se representar pela possibilidade de moderar a terceira mesa temática, alusiva ao tema “Educação de Adultos: Políticas Prospetivas e Financiamento”. Assim, Isabel Moio, TORVC, teve ao seu lado Zara Sousa (TORVC com ligação à APEFA) e Alzira Mendes (Agência Nacional Erasmus+), que partilharam experiências e projetos de financiamento no âmbito do programa Erasmus+, Ana Cláudia Valente (Vogal do Conselho Diretivo da ANQEP), que apresentou o balanço do Programa Qualifica até ao momento e partilhou algumas observações com vista aos desafios que competem aos Centros, e Joaquim Bernardo (Presidente da Comissão Diretiva do POCH), que se centrou na dimensão financeira que se prevê assegurar o funcionamento da Educação e Formação de Adultos até 2027.

Mais do que um mero momento formativo, este Encontro assumiu uma função aglutinadora ao afigurar-se como uma oportunidade para reunir profissionais, coordenadores e investigadores ligados à Educação e Formação de Adultos, uma área nobre e digna de ser assumida como um verdadeiro desígnio nacional.

Isabel Moio – Técnica de ORVC

À descoberta do tecido empresarial da região


No dia 15 de junho de 2019, os formandos do curso EFA de nível secundário da Escola Secundária de Pombal, acompanhados pelos seus formadores, fizeram uma visita de estudo integrada no cumprimento da Atividade Integradora número três intitulada “O impacto do tecido empresarial no desenvolvimento socioeconómico da região de Pombal”.

O dia começou com a visita à “Queijaria Prado do Sicó”, em Santiago da Guarda, uma das empresas que produz e promove produtos da região, a qual já foi galardoada cinco vezes com a distinção de “Melhor queijo de Portugal” e recebeu também outras menções honrosas.

Acompanhados pelo proprietário e empreendedor, o Senhor José Sá, o grupo fez uma visita guiada à empresa, começando pelo cais onde o leite é recebido, passando pelos laboratórios de análise do mesmo, conservação, pasteurização, processo de confeção e embalamento. Tudo foi explicado com minúcia e entusiasmo!

No final, houve lugar para a degustação dos diferentes tipos de queijo produzidos na fábrica. Uma autêntica iguaria!

Mas, a visita não estava completa. O grupo dirigiu-se, em seguida, ao Complexo Monumental da mesma localidade.

O Complexo Monumental de Santiago da Guarda é um monumento nacional desde 1978 e único exemplar de arquitetura manuelina na região. Na sua origem, foi uma vila tardo-romana dos séculos IV e V, mas descoberta apenas em 2002. Contém 17 conjuntos de mosaicos  policromáticos dessa época, descobertos em pleno século XXI. Um está eximiamente exposto na área de acolhimento e é um dos maiores que são conhecidos na Península Ibérica.

Este Complexo integra o Paço dos Vasconcelos, Condes de Castelo Melhor, e a vila tardo-romana dos séculos IV-V, reunindo, assim, diferentes épocas históricas num espaço único e três estilos arquitetónicos: arte romana, gótica e manuelina. Foi também a residência de campo dos Condes de Castelo Melhor, no séc. XIX.

Antes do regresso, realizou-se um convívio com piquenique no parque de merendas de Santiago da Guarda. Descubra o nosso e-book.

Os formandos do curso EFA

Matemática para a Vida e jogos


No processo de formação de adultos é muito importante o modo como se organizam os ambientes e a forma como se concebem e orientam as propostas que permitem o desenvolvimento das competências matemáticas e a evidenciação das mesmas.

No processo RVCC, assume particular importância a natureza das propostas de trabalho formativo para estimular o evidenciar das competências que cada candidato desenvolveu com a sua história de vida.

As propostas de trabalho são organizadas tendo em consideração as experiências de vida e procura-se fazer com que o desenvolvimento de competências seja um desafio, motivando o candidato e incentivando-o a realizar atividades experimentais nas quais mobilize conceitos numéricos ou geométricos simples, processos e procedimentos matemáticos para a resolução de problemas da sua realidade.

A utilização de jogos tem-se revelado de grande importância na concretização deste objetivo uma vez que ajudam o candidato a ver a Matemática enquanto modo de pensar e de organizar conhecimentos e enquanto lazer. O candidato vai integrando a compreensão da natureza desta ciência que está sempre no seu quotidiano.

Tem-se recorrido ao uso de jogos como o Tangram, para desenvolver conceitos geométricos; o Jogo do 24, para utilização de estratégias de cálculo mental adequadas a diferentes situações e relacioná-las com propriedades das operações; o Sudoku para desenvolver competências ao nível do raciocínio matemático e do saber argumentar usando justificações lógicas para a validação de afirmações.

O Tangram (com as sete peças) permitiu, por parte dos candidatos, a aplicação do mesmo na construção de letras e criação de puzzles personalizados para os netos; o Jogo do 24 foi jogado com os algarismos do ano de nascimento dos formandos e familiares, bem como com os algarismos que constam das matrículas dos seus carros; o Sudoku, apelou ao raciocínio, desenvolvendo um pensamento organizado e bem estruturado e os candidatos reconheceram que além de ser uma ótima fonte de distração e de lazer, também é ótimo para potenciar a mente.

Ana Francisco – Formadora de Matemática para a Vida

Estatística: Ferramenta de Formação Cívica


No dia 14 de fevereiro de 2019 os alunos do EFA e os candidatos do processo RVCC tiveram a oportunidade de participar numa palestra subordinada ao tema “Estatística: Ferramenta de Formação Cívicadinamizada pelo Dr. João Paulo Martins, docente do Departamento de Matemática da Escola Superior de Tecnologia e Gestão, do Instituto Politécnico de Leiria.

O palestrante começou por apresentar a origem e a história da Estatística bem como os diferentes Matemáticos ligados à mesma. De seguida  apresentou vários exemplos de informações estatísticas e referiu a importância de se analisar  de forma crítica toda a informação que nos apresentam ( jornais, televisão, publicidade,….), dado  que a informação estatística com que somos confrontados diariamente é frequentemente apenas uma informação parcial. Alertou, ainda, para a importância de  compreender que os mesmos dados, consoante as medidas de redução de dados, representações gráficas ou tabelas utilizadas, podem conduzir a conclusões diferentes. Para terminar, os formandos presentes, em grupo, foram desafiados a fazer a análise de notícias com informação estatística sobre um mesmo assunto mas feita por jornais diferentes. A análise foi apresentada pelo porta voz de cada grupo. Em todas as notícias foi possível identificar que notícias sobre o mesmo assunto levavam a conclusões diferentes e era possível identificar possíveis enviesamentos na informação.

A abordagem apresentada salientou que  a Estatística pode ser  utilizada de forma perversa para influenciar a opinião pública acerca de  determinados assuntos ou para representar a suposta qualidade e eficácia de produtos comerciais.

Para concluir enfatizou-se a importância e a necessidade de sermos  cidadãos esclarecidos e críticos em relação à informação estatística com que nos deparamos no nosso dia a dia.

Ana Francisco – Formadora de MV do processo RVCC

Leitura e cinema no Centro Qualifica


A apresentação do livro do jornalista norte-americano Franklin Foer “Mundo Sem Mente”, com a leitura de alguns excertos e o visionamento do filme “Jogo de imitação” do realizador norueguês Morten Tyldum foram fonte de conhecimento e agentes de reflexão nas sessões de formação do processo RVCC e curso EFA de nível secundário, no serão de 28 de janeiro.

A mensagem de uma obra que denuncia o impacto da alta tecnologia no dia-a-dia e sobretudo a invasão da privacidade dos utilizadores da Google, da Amazon, do Facebook, da Microsoft e da Apple não poderia ser mais oportuna para cumprir os objetivos das áreas de competências-chave de Sociedade, Tecnologia e Ciência e de Cultura, Língua e Comunicação no que se referem à  temática redes e tecnologias.

Com referências a Alan Turing, Stuart Brand e as origens hippies de Silicon Valley, a obra apresenta-nos os fundamentos da GAFA (Google, Apple, Facebook, Amazon) e questiona (denuncia) se o seu intuito subjacente não será de moldar a humanidade à imagem que deseja.

Num aprofundamento sobre o conhecimento de Alan Turing matemático, criptoanalista britânico com um papel relevante na criação do computador, os candidatos em processo RVCC e os formandos do curso EFA puderam ainda assistir ao filme “Jogo de imitação”.

Como em toda a sessão de cinema, não faltaram pipocas. Aliou-se o prazer de ler e de assistir a um filme à urgência da reflexão. Em tempos da vertiginosa evolução das tecnologias de informação e da comunicação deparamo-nos com a necessidade de não nos deixarmos deslumbrar.

“Facilmente nos maravilhamos com estas empresas e suas invenções, as quais costumam facilitar-nos a vida. Mas já perdemos demasiado tempo maravilhados. Chegou a altura de pensarmos nas consequências destes monopólios, de reavaliarmos o nosso papel na determinação do rumo humano. A partir do momento em que cruzemos determinados limites – assim que transformarmos os valores das instituições, assim que abandonarmos a privacidade – não haverá regresso, não teremos como restaurar a individualidade perdida”.

Franklin Foer

Cristina Costa – Coordenadora do Centro Qualifica

Afetividade: um dos lados efetivos da Educação de Adultos


A maioria das pessoas lembra, de alguma forma, como a relação com um ou mais professores marcou o seu percurso escolar. Puxando pelas lembranças, emerge uma teia de sentimentos, emoções e subjetividades. Nas pessoas adultas, com frequência, surgem histórias de interrupção da vida escolar face à necessidade de a criança (ou jovem) ajudar os pais na agricultura, o que, muitas vezes, era agravado pela distância entre a residência e a escola ou pela ausência de uma rede de transportes.

São muitas destas crianças e jovens, hoje pessoas adultas, que veem na porta do Centro Qualifica do Agrupamento de Escolas de Pombal a oportunidade de dar continuidade a um trajeto escolar colocado precocemente à margem das suas vidas, devido ao despontar de novas necessidades e prioridades.

Nas primeiras sessões de reconhecimento de competências, enquanto se apropriam de uma metodologia “nova” (autobiográfica, distinta das abordagens escolares) e quando questionadas sobre o motivo que aqui as trouxe, recordam os “fantasmas” e as dificuldades de idos tempos de escola. O decorrer do processo traz-lhes clarividência: a possibilidade de combater a erosão do saber, ao revisitar conceitos e conteúdos nas sessões de formação complementar; e a emancipação, pelo aumento da autoconfiança e melhoria da capacidade de autoconhecimento. Há partilha e um contrato que estipula a empatia como condição basilar de todo o processo. Há, também, aprendizagem de ambas as partes: tantas vezes a equipa aprende com cada História que ouve, lê, orienta e encaminha… Depois, há ainda aqueles momentos com os quais os nossos candidatos, ao traduzirem o processo em objetos simbólicos, expressam o valor que esta caminhada lhes representa.

Para que a afetividade se transforme numa ferramenta efetiva ao serviço da Educação de Adultos, visando o estabelecimento de vínculos de aproximação, é imprescindível a construção de sentimentos positivos assentes no respeito mútuo e na confiança. Neste contexto, a relação percebida entre a equipa técnico-pedagógica extravasa a dimensão cognitiva. É assim que, tanto o(a) técnico(a) como o(a) formador(a) vestem a missão de incentivar cada pessoa em processo, compreendendo-a, orientando-a, motivando-a para chegar a bom porto e contribuindo para que tome consciência de que é a peça fundamental no seu processo de Aprendizagem ao Longo (e em todos os espaços) da Vida.

Isabel Moio – Técnica de ORVC

Partilha de saberes sobre os perigos da automedicação


Em parceria com o projeto de Educação para a Saúde, o Centro Qualifica investe em ações que promovem a literacia em saúde e valorizem comportamentos que conduzam a estilos de vida saudáveis.
Os perigos da automedicação foi o tema da sessão do dia 7 de março 2018, com o médico Válter Santos, no auditório da Escola Secundária de Pombal.
Em interação com os candidatos do processo de RVCC (Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências), o jovem médico, antigo aluno da nossa escola, alertou para o facto da prática da automedicação poder tornar-se um problema com consequências muito graves, nomeadamente: contribuir para erros de diagnóstico uma vez que pode esconder determinados sintomas; anular ou potenciar a ação de medicamentos em uso; provocar intoxicações e reações alérgicas.
Alertou ainda para a necessidade de conservar corretamente os medicamentos. Sob a influência da luz, calor ou humidade, os medicamentos podem deteriorar-se. Também deve ser dada especial atenção à preservação da embalagem. Deu o exemplo do Brufen esquecido no fundo da carteira de senhora, ao qual se recorre, numa emergência, quando já está fora de validade ou com o blister danificado.
Recorrendo a muitos exemplos, clarificou que uma dose acima da indicada, administrada por via inadequada ou uso para fins não indicados, podem transformar um remédio num tóxico.
Finalizou a sua intervenção com alguns vídeos, realçando o facto da publicidade nos diferentes meios de comunicação social ser uma possante fonte de informação, por vezes enganosa, e influência sobre a compra e uso de medicamentos não sujeitos a receita médica (MNSRM).
Todos os presentes agradeceram a partilha de saberes que, num ambiente muito agradável, o Dr. Válter Santos nos proporcionou. Ficámos mais esclarecidos e pudemos refletir sobre os nossos hábitos no que diz respeito à toma de medicamentos.

Cristina Costa